Jovem cristã ex-muçulmana é presa no Irã e tem paradeiro desconhecido
03/02/2020 09:17 em Missões

Uma jovem cristã ex-muçulmana que protestava contra a perseguição religiosa que sofria por ter abandonado o islamismo para se tornar seguidora de Jesus Cristo foi presa há uma semana no Irã e seu destino é desconhecido.

O caso da ex-muçulmana Fatemeh Mohammad foi noticiado pela agência persa Hrna através do portal britânico Article 18, que se dedica a denunciar o cerceamento da liberdade religiosa no Irã.

Segundo informações da Missão Portas Abertas, Fatemeh Mohammad preferia ser chamada de Mary após sua conversão ao Evangelho e desde que tornou sua decisão pública, enfrentou diversas adversidades, como a expulsão da faculdade em que estava matriculada em Teerã, capital iraniana.

Aos 21 anos, sua história se tornou conhecida internacionalmente desde que a Portas Abertas e o portal Article 18 passaram a veicular notícias sobre seu caso. No domingo 19 de janeiro ela foi presa e levada para uma localização desconhecida.

O Irã integra a lista mundial de perseguição a cristãos elaborada pela Portas Abertas, e ocupa a 9ª posição em um total de 50 países considerados os mais hostis para os seguidores de Cristo.

Antes de sua prisão, Mary vinha relatando “os abusos enfrentados pelos seguidores de Jesus no Irã, via redes sociais, como o Twitter”, diz o informe da entidade missionária. “No dia em que foi detida, ela estava em um protesto contra a operação do governo para derrubar um avião de passageiros da Ucrânia, provocando o óbito de 176 pessoas”, acrescenta o texto.

A ação foi admitida pelo Irã como um “erro”, mas vem sendo considerada internacionalmente como uma retaliação da Guarda Revolucionária do país pela morte do general Qassem Soleimani, que foi alvo de uma operação militar dos Estados Unidos no Iraque.

“Outros manifestantes também foram presos durante os atos contra as atitudes do Estado. A falta de informações sobre o estado e o paradeiro de Mary deixou a família da jovem muito preocupada. No dia da prisão, ela publicou vários tweets denunciando a censura que a imprensa iraniana enfrenta. Ela acusou os governantes de institucionalizar falsas crenças por meio da cobertura seletiva de notícias, e ressaltou que a repetição dos assuntos torna as mentiras mais plausíveis”, acrescenta a Portas Abertas.

A entidade missionária pede oração por Mary, para que “Deus guarde a cristã da violência e dos abusos das autoridades”, e pelos familiares da jovem, para que eles “sejam confortados com informações verdadeiras, e que neste momento possam ver a mão de Cristo guiando toda a situação”.

Fonte: Gospel Mais

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!