Cristãos que tentam escapar de prisão na Coreia do Norte são atirados a cães famintos
02/02/2020 20:36 em Missões

Uma cristã que foi alvo do ódio comunista na Coreia do Norte teve sua história de fidelidade ao Evangelho relatada por uma organização de apoio à Igreja Perseguida, que detalhou os horrores da dinastia Kim contra os seguidores de Jesus Cristo.

Younghee é uma cristã que foi treinada por cinco meses pela Cornestone Ministries International em 2008 após fugir do regime norte-coreano. Corajosamente, ela retornou ao país e plantou uma igreja subterrânea, já que o cristianismo é proibido. Em abril de 2019 ela se tornou um mártir do Evangelho numa das principais prisões em que os cristãos são confinados.

“Este campo de prisão é conhecido por ser notoriamente duro com os cristãos”, comentou Peter Lee, diretor-executivo do Cornerstone Ministries International. “Os internos do campo morrem lá todos os dias; muitos tentam escapar, mas a maioria é capturada e devolvida”, ilustrou.

“Muitos dos apanhados são jogados a cães famintos. Muitos são espancados ou perdem carne para os cães; muitos prisioneiros recapturados morrem. Os oficiais da prisão querem que os presos vejam o que acontece quando tentam escapar”, explicou.

A igreja subterrânea criada pela irmã Younghee chegou a reunir 12 membros, o que fez com que a congregação se tornasse um alvo: “À medida que sua igreja crescia, seu risco de exposição também aumentava. Finalmente, ela foi exposta e enviada a um campo político por um período indeterminado”, relatou o diretor-executivo da organização cristã.

Segundo informações do portal God Reports, após a irmã Younghee ter sido enviada à prisão, a Cornerstone perdeu contato com ela. Nenhum familiar sabia o que havia acontecido com ela e seus filhos consideravam que ela talvez tivesse fugido da Coreia do Norte e ido para a China.

Em 2019, um cristão local ligado à Cornestone descobriu o campo de prisão onde Younghee era mantida na Coreia do Norte, e levou dois filhos dela para tentar visitá-la em 21 de julho. Ao chegarem ao local, os responsáveis pela unidade prisional informaram que ela tinha morrido três meses antes e que seu corpo havia sido cremado.

“Você deve ser filha de Younghee”, exclamou um dos oficiais de alto escalão da prisão ao ver uma das filhas dela. ”Você se parece com sua mãe”, acrescentou ele, causando surpresa a todos os visitantes na sala. ”Eu nunca vi uma mulher tão forte e honesta como sua mãe”.

Em seguida, o oficial relatou uma conversa que teve com Younghee logo após pressioná-la sobre sua fé em Jesus Cristo. “Eu disse à sua mãe: ‘Eu não entendo por que uma pessoa como você, que é inteligente e não tem nada, acredita em um Deus que não podemos ver. Se você tivesse negado o seu Deus, não teria todo esse sofrimento. Você não se arrepende de ser cristã?’ ‘Nunca me arrependi da minha fé e nem me arrependo agora'”, contou ele, reproduzindo a resposta de Younghee.

O funcionário da prisão disse que diminuiu a carga de trabalho de Younghee pouco antes de sua morte, porque seu corpo estava muito fraco. “Mas ela era forte em sua fé”, disse ele. “Ela estava sempre ajudando outros prisioneiros… a prisão inteira sabia que era cristã porque compartilhava sua comida e outras necessidades básicas com outros prisioneiros”, afirmou.

“Ela estava sempre confortando aqueles que estavam sozinhos e angustiados. Ela tinha o rosto de alguém que vive em um mundo diferente”, contou, para mais uma vez, surpreender as pessoas na sala: “Embora seja difícil viver neste mundo, você deve viver como sua mãe. Younghee era uma verdadeira crente”, disse, diminuindo o tom de voz.

Fonte: Gospel Mais

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!